Ultimas Postagens

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

domingo, 26 de junho de 2016

WALKIRIA ESTARLEY, DA BANDA FARRA DA ‘GORDINHA’, PASSA MAL E É INTERNADA

A vocalista da banda Farra da Gordinha, Walkiria Estarley, teve que ser internada neste sábado (25/06) após passar mal. Com um quadro de arritmia cardíaca, foi sedada, ficou na UTI e teve que cancelar a agenda de shows que incluía nesta sábado uma apresentação nas festas juninas em Timon (MA) e o Arraiá Nervozinho no Água de Chocalho, na capital piauiense.
Ainda no fim da noite de sábado ela teve alta.
A banda tinha ainda outros sete shows apenas este mês e muitos outras no mês de julho. A banda Farra da Gordinha tem sido uma das mais solicitadas para apresentações em especial no Maranhão e Piauí, onde é comum fizeram mais de uma apresentação por noite.
A última apresentação de Walkiria no Piauí foi nos festejos de São João do Piauí na madrugada da última quinta-feira (23/06).
Por causa do seu porte físico, Walkiria já estava se preparando para uma cirurgia bariátrica, de redução de estômago, a mesma que a vocalista do Aviões do Forró, Solange Almeida, realizou. Apesar de esperar uma mudança radical no seu visual, a cantora queria continuar ‘fofinha’, pois era sua marca e como sempre diz, ser “gordinha é um luxo”.
Um boletim médico deve ser divulgado para explicar o quadro de saúde de Walkiria, que até então se manteve estável. Nas redes sociais da cantora vários fãs desejaram uma boa recuperação à cantora.
Mais informações »

POLÍTICA ARAGUANENSE! Enquanto Marcio Weba abandona sua pré-campanha outros nomes da oposição articulam em favor de candidatura única!!

A cidade de Araguanã amanheceu com uma novidade na política local que tomou de surpresa muitas dos seus habitantes.
Trata-se da guinada de opções feita por parte do ex-prefeito Márcio Weba. O mesmo confirmou a sua aliança com o deputado Josimar a que é ligado o atual gestor municipal Walmir Amorim, pré-candidato à reeleição. Alguns populares reagiram com vaias e indignação ao anúncio feito na noite de desta sexta-feira em um evento junino na cidade, ouça áudio, AQUI.
Fato é que os líderes da oposição pressentiam a reviravolta de Márcio e diante do fato já se articulavam para unir os pré-candidatos de seu bloco em torno de um único nome, o que provavelmente deverá acontecer nos próximos dias. Veja fotos do último encontro da oposição: AQUI.
A pesar de bem cotado, o pré-candidato e atual vereador pesqueiro Wiliam Pinheiro (do PC do B do Governador Flávio Dino) e outros pares da oposição, trabalham na grande possibilidade de um convencimento mútuo de unificação das forças para equilibrar as disputas em prol da esperanças de alternância administrativa para a cidade de Araguanã. Na oposição os pré-candidatos, Bastos do PTC e Nene do Solidariedade.
Para Wiliam Pinheiro a passagem de Márcio Weba representa uma traição ao bloco da oposição e gera uma série de mudanças no perfil político da cidade nos próximos certames eleitorais.
fonte:blogdoluismagno.com.br



Mais informações »

ARAGUANÃ: Política, Políticos e apequenamento do povo em nome do oportunismo pessoal


Os grandes nomes da política mundial foram homens de ideologia- foram homens que seguiram um projeto a vida inteira e por isso a historia os reconheceu como grandes figuras da humanidade, dignos de honra.

Araguanã parece ser a capital dos políticos sem ideologia, Araguanã tem nos apontados um quadro de político oportunista, os últimos acontecimentos marcados por mudança de posição na disputa eleitoral araguanese em que os Ex-prefeitos Coreirinho e Marcio Webar, antes, inimigos ferrenhos do atual prefeito do município são um retrato desse oportunismo. Político sem ideologia e sem projeto de vida que seja voltado para a cidade. Não merecem nossa confiança
Fonte;novomassescosta.blogspot.com.br


O povo não e MOEDA de TROCA. QUE A CONSCIÊNCIA SEJA O guia de todos
Mais informações »

sábado, 25 de junho de 2016

Polícia Federal investiga 'máfia dos shows públicos'

A Polícia Federal, a Receita e o Ministério Público Federal estão investigando uma 'máfia' dedicada a fraudar a compra e venda de shows públicos de grandes artistas. Uma reportagem do UOL mostra que por enquanto há investigações em curso em São Paulo, Rio, Pernambuco, Amazonas, Bahia, Pará, Ceará, Piauí e Rio Grande do Norte.
Segundo levantamento obtido pela reportagem, o volume de dinheiro obtido por meio de fraude na contratação, superfaturamento de cachês ou infraestrutura pode passar de R$ 100 milhões apenas nos últimos três anos. Somente no interior de São Paulo há R$ 15 milhões já bloqueados pela Justiça a pedido do Ministério Público Federal.
A investigação começou em 2010, no interior de São Paulo, e depois se espalhou pelo país.
Quem a iniciou foi Thiago Lacerda Nobre, hoje chefe da Procuradoria da República em São Paulo, e procurador da República em Santos.
"Quando viajava a trabalho pelo interior de São Paulo comecei a perceber que algumas cidades minúsculas estavam fazendo eventos com artistas de renome nacional, cujos cachês eram caríssimos. Começamos a investigar porque não havia como aquelas cidades bancarem tantos shows e festas de peão. Acabamos descobrindo uma série de irregularidades, que envolviam não só as cidades, mas até o governo federal, que era fraudado por meio de convênios culturais", afirmou o procurador em entrevista exclusiva ao UOL.
Segundo Lacerda Nobre, somente no interior de São Paulo 32 cidades com governantes ou contratantes (de áreas culturais ou de eventos) estão hoje sofrendo ações de improbidade; além disso, há dez ações criminais em curso contra ex-prefeitos suspeitos de envolvimento ou facilitação das fraudes, e mais R$ 15 milhões já bloqueados até que as investigações terminem.
"Esse valor se refere apenas a bloqueios já realizados entre 2010 e 2013, e somente na região de Jales", afirma o procurador.
No restante do país, segundo a reportagem apurou junto a fontes da PF e MPF, as fraudes podem somar mais de R$ 100 milhões desde 2013. Há novas ações sendo iniciadas em outros Estados, porém.
Um dos artistas já condenados a ressarcir os cofres públicos nos últimos meses foi o sambista Zeca Pagodinho. Sua empresária, Leninha Brandão, confirma a condenação, mas nega irregularidades e afirma que os advogados do artista vão recorrer (leia texto abaixo). No caso de Zeca, a ação contra ele se desenrolou em Brasília.
Modus operandi
A fraude mais comum, segundo o procurador, é aquela em que um atravessador recebe informação privilegiada de que esta ou aquela cidade fará uma grande festa (de aniversário por exemplo) e que a intenção é de contratar a dupla sertaneja "X". De posse da data, o atravessador então se antecipa, entra em contato com a dupla e faz uma oferta de compra da data em questão.
Quando um funcionário da prefeitura entra em contato com o empresário da dupla, dizendo que a cidade tem interesse em contratar seus artistas, é informado que a data em questão já está vendida, e que a prefeitura deve procurar o empresário-atravessador. Não raro, a prefeitura acaba pagando um preço às vezes exorbitante pelo cachê dos artistas de seu interesse, porque o "atravessador" sabe que não há outras opções e "enfia a faca" no município.






O problema é que, segundo o Ministério Público Federal, há suspeitas de que muitos empresários e mesmo artistas decidiram entrar no "esquema" nos últimos anos. Há uma lista de empresas, empresários e artistas sendo investigados. Dezenas de sigilos fiscais já foram quebrados, com autorização da Justiça.
Técnicos da Receita Federal, por sua vez, estão cruzando dados de faturamento de artistas com dados declarados por prefeituras que os contrataram.
Máfia regionalizada
Segundo dados obtidos pela reportagem, a "máfia dos shows" está hoje instalada em ao menos oito estados. Em cada um deles, a máfia designou um "atravessador", ou comprador de shows.
Sempre que uma cidade do interior desses estados quer comprar o show de algum grande artista, acaba sendo "obrigada" a tratar da contratação por meio do atravessador desse estado. Mesmo em alguns casos, contratações de artistas por empresas e locais privados também foram prejudicadas.
Os escritórios e suspeitos investigados pela força-tarefa estão atualmente localizados em São Paulo, Rio, Fortaleza, Recife, Manaus, Salvador, Belém, Natal e Teresina.
Outra modalidade de fraude que está sendo investigada envolve a contratação dirigida de empresas ligadas a funcionários públicos (de áreas como Cultura e Eventos) que vem mantendo monopólio no fornecimento de equipamentos e infraestrutura para grandes shows, como som, iluminação, segurança e até banheiros químicos (veja álbum, no topo desta página).
Blogueiro: Ricardo Feltrin do UOL
Fonte: Com informações do UOL


Mais informações »
© Blog do Zé 2016. Todos os direitos reservados.